Veja passo a passo como fazer um quadro com a pintura da placenta e criar uma lembrança única do seu parto!

 

O que é um Carimbo de Placenta ou Print de Placenta?

pintura placenta print carimbo

 

O Carimbo de Placenta (também chamado de “pintura de placenta” ou “quadro de placenta”) é uma lembrança realmente única para guardar como recordação do parto. A placenta é o órgão que protege e nutre o seu bebê durante toda a gestação, sendo essa a sua única função, além de fornecer oxigênio e manter a comunicação com a mãe.

 

É também por essa razão, a de produzir oxigênio, que a placenta é chamada de “árvore da vida”. Mas a analogia não para por aí: quando “carimbada”, é possível ver a forma incrível da placenta, que de fato lembra uma árvore, fazendo jus ao nome de “árvore da vida”.

 

Depois do parto, há quem jogue a placenta fora, há quem coma, há quem faça pílulas de placenta, há quem prefira enterrar com uma muda de planta ou jogar para os peixes no rio. Mas se nenhuma dessas a convence ou se gostaria de ficar, ainda assim, com alguma memória da sua, um quadro com o carimbo de placenta pode ser a saída ideal!

 

Você pode guardá-lo só para você, num álbum, ou pode emoldurar e fazer um lindo quadro de placenta para expor na parede de casa. E, claro, a melhor parte é que fazer o carimbo de placenta não deteriora o órgão e, portanto, você ainda pode, se quiser, reaproveitá-la para fazer uma cerimônia de despedida depois (se for a sua praia).

 

Você pode fazer o carimbo de placenta com a sua doula, parteira, seu companheiro(a), com todos eles juntos ou até mesmo sozinha. Só vai precisar de:

 

  • Papel de aquarela;
  • Luvas descartáveis;
  • Tinta (a base de água ou de carimbo; item dispensável)
  • Placenta fresca

 

Carimbo de Placenta Passo a Passo

 

Atenção: antes de começar a fazer, leia até o final para ver as dicas e minimizar erros e bagunça!

 

  1. Coloque a placenta numa superfície lisa e posicione como você gostaria que saísse no carimbo.
  2. Depois, pegue o papel de aquarela e coloque cuidadosamente sobre ela (se for fazer carimbo apenas com o sangue da placenta, senão pinte a placenta antes com as cores pretendidas).
  3. Pressione o papel com as mãos onde está a placenta, para marcar o formato.
  4. Retire o papel com muito cuidado.

 

Dicas gerais para fazer um bom Carimbo de Placenta

 

  • Para o seu primeiro carimbo, experimente usar o sangue da placenta. Pode tentar várias vezes (tem bastante sangue, não se preocupe) e, quando esgotar, aí sim utilizar as tintas d’água.
  • É normal não conseguir o resultado “ideal” de primeira.
  • Se o seu papel for grande o bastante, não precisa se limitar a fazer apenas um carimbo. Pode fazer, por exemplo, uma “floresta” de placentas. Fazer uma versão da mãe e outra do bebê, etc. Use a criatividade!
  • Pode colocar uma cor de fundo no papel antes ou usar papel já colorido.
  • Colocar a placenta sobre uma toalha pode reduzir bastante a bagunça!
  • Se for lavar a placenta na pia antes, tenha certeza que a água esteja bem fria mesmo!
  • Experimente colocar alguma cor nos vasos da placenta, pode dar uma cara mais arvoresca ao carimbo.
  • Não recomendo utilizar cartolina ou papeis de desenho muito grossos, pois pegam mal a tinta.
  • Pode usar produto antimofo depois que estiver a pintura estiver seca!

 

Se quiser ver mais ideias de como aproveitar esse órgão incrível além do carimbo de placenta, dá uma olhada no artigo O Que Fazer Com a Placenta Após o Parto!

 

Curiosidades

Será que outros povos no mundo também fazem carimbo de placenta?

Uma coisa é fato: enterrar, plantar ou carimbar placenta, sempre houve muitas histórias, crenças e rituais realizados no mundo todo, após o parto, em torno da placenta. Alguns exemplos:

 

  • No Iêmen, a placenta é colocada sobre o telhado da família para os pássaros comerem na esperança de que isso irá garantir o amor entre os pais.
  • Na Malásia, a placenta é vista como um irmão mais velho da criança e que ambos se reencontrarão na morte. A parteira lava cuidadosamente a placenta, o cordão e as membranas e os envolve em um tecido branco para serem enterrados.
  • No Nepal, a placenta é chamada de “bucha-co-satthi” — que significa “amiga do bebê”.
  • No Sudão, a placenta é considerada o “segundo espírito” da criança e pode ser enterrada junto de algum lugar que represente as expectativas dos pais em relação ao filho (por exemplo, perto de um hospital para que ele se torne médico).

 

Você pode escolher um desses rituais para honrar e se despedir da sua (como enterrar, plantar, queimar ou comer), como também pode, adicionalmente, fazer o carimbo de placenta, que acaba ficando como uma peça de arte muito íntima e particular para guardar ou expor na sua parede — e deixar suas visitas se perguntando, curiosas, como foi que você conseguiu fazer aquela árvore tão diferente…!

Sobre a autora

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado.

    Vila Materna é um portal de informações baseada em evidências científicas sobre gestação, maternidade e educação e com firme compromisso com a perspectiva feminista e os direitos das mulheres e crianças.

    Inspiração

    “A mulher viva e politizada afirma ser uma pessoa quer esteja ligada a uma família ou não, quer esteja ligada a um homem ou não, quer seja mãe ou não”.


    – Adrienne Rich, Of Woman Born: Motherhood as Experience and Institution

    Aline Rossi © 2020. Todos os direitos reservados.