Longe de ser uma “moda” nova, fazer massagem em bebês é uma terapia tradicional milenar em muitas culturas. Saiba quando e como fazer uma massagem ao seu bebê e quais os benefícios da prática!

Fazer massagem nos bebês é, para muitas culturas, algo que vai muito além de um simples momento de relaxamento e muito mais do que “só” criar laços. Para diversos povos, a massagem está intrinsecamente ligada à sua espiritualidade, à forma de ver o mundo e as relações humanas. Resumidamente, a massagem é uma maneira de amar.

Podemos mesmo dizer que fazer massagem em bebês não é uma mera técnica: em muitas culturas, é uma arte e tradição. Vejamos alguns exemplos de como diferentes culturas e povos veem esse momento.

A Massagem Infantil em diferentes culturas pelo mundo

  • Na Índia, a massagem é usada desde o nascimento e as gerações mais velhas massageiam as mais jovens. Essa arte chama-se Massagem Shantala e foi trazida para o Ocidente em meados da década de 70 pelo médico francês Frèdèric Leboyer;
  • As mães havaianas massageiam os rostos de seus bebês, pois acreditam que isso os torna bonitos (considerando os benefícios para a pele, não estão erradas!);
  • Os Zinacantecos do México acreditam que os bebês devem ser massageados e abraçados com frequência, caso contrário sua alma se perderá pouco a pouco;
  • Na cultura coreana, acredita-se que massagear as pernas do bebê rotineiramente pode encorajar o crescimento e fazer com que os bebês fiquem altos;
  • Após o parto, os samoanos geralmente massageiam o bebê usando o sangue da placenta ou do cordão umbilical;
  • As mães cubanas massageiam o abdômen dos bebês com óleo e alho para aliviar as dores de estômago;
  • No sul da Ásia, as mães realizam diariamente massagens infantis na crença de que isso trará destemor, ajudando a endurecer a estrutura óssea e melhorando o movimento e a coordenação dos membros;

Independente de qual seja a sua motivação, o fato é que a massagem em bebês é uma forma prazerosa de passar tempo com seu bebê.

Quais são os benefícios da massagem para bebês?

De fato, os benefícios de fazer massagens regularmente aos bebês são muitos. Centenas de pesquisas científicas já cobriram o assunto e comprovaram as vantagens tanto a nível físico quanto emocional e psicológico. Alguns dos benefícios mais referenciados são:

  • A massagem ajuda o bebê a relaxar e aliviar o estresse;
  • Propicia mais qualidade de sono e ajuda a adormecer;
  • Reduz o choro, pois fomenta o toque e a sensação de segurança;
  • Fortalece o sistema imunitário do bebê;
  • Melhora a circulação sanguínea e a respiração;
  • Fortalece os vínculos entre mãe e bebê;

Além disso, alguns estudos sugerem ainda que massagens com pressão moderada podem promover o crescimento de bebês prematuros. Aliás, a massagem é uma aliada de longa data dos fisioterapeutas e terapeutas dedicados ao desenvolvimento de crianças com necessidades especiais, principalmente a nível do desenvolvimento motor.

Entretanto, não podemos deixar de frisar que é importante discutir a aplicação da massagem como terapia com o seu pediatra antes de começar a usar o método no seu bebê prematuro ou caso seu filho tenha alguma deficiência em particular.

Quando fazer ou não massagem no bebê?

como fazer o bebê dormir

É importante ter em atenção que fazer massagem no bebê logo após uma mamada não é recomendado, pois pode causar vômito. Então espere pelo menos de 45 minutos a 1h para que o bebê possa fazer a digestão de maneira adequada.

O humor do bebê também deve ser avaliado antes de começar. Como nós, os bebês também têm os seus momentos de “quero ficar na minha”. Se seu filho ou filha parecer calmo e satisfeito, é um sinal de que poderão gostar de receber uma massagem naquele momento. Se, entretanto, o seu bebê vira a cabeça quando você se aproxima ou fica rígido em seus braços, isso pode ser uma indicação de que ele/ela está um pouco tenso ou agitado e que este pode não ser o momento ideal para fazer uma massagem.

Massagear um bebê que não está de bom humor pode ser bastante frustrante para ambos. É como fazer dormir um bebê que ainda não está com sono: normalmente, quem se cansa são os pais.

Fica a seu critério decidir com que periodicidade quer fazer massagens ao seu bebê. Recém-nascidos, que certamente têm mais necessidade de atenção e toque (pois se sentem mais seguros com o toque, especialmente da mãe), podem gostar de receber massagens diárias. Inclusive, mais de uma vez ao dia. Se seu filho ou filha já for um pouco mais crescido, pode incorporar a massagem à rotina de preparo para dormir.

Como devo massagear o meu bebê?

Fazer massagem em bebês demanda alguma preparação prévia e conhecimento de algumas técnicas básicas. Veja as dicas abaixo, mas se não se sentir segura, pode recorrer a um profissional ou a um curso para aprender antes de começar.

Preparação antes da massagem

  • Antes de começar, é importante criar uma ambiência: luzes baixas, temperatura amena, som reduzido. Isso ajudará a manter o bebê calmo e, assim, a colaborar com esse momento. Se está em casa, pode optar por fazer no quarto ou no jardim. Pode, por exemplo, por uma música instrumental com volume bem baixo ao fundo, para criar uma atmosfera tranquilizadora.
  • Retire as joias, se estiver utilizando. Nada de anéis ou pulseiras para fazer massagem no bebê, pois podem machucar a pele no contato.
  • Estenda uma toalha macia sobre a mesa de troca do bebê ou sobre a cama, pode ainda estender um colchonete no chão para posicionar o bebê à sua frente. Pode fazer isso em pé, de frente para a cama ou trocador, ou pode se sentar na cama ou no chão, se preferir. O importante é que esteja com o bebê à sua frente e que ambos estejam confortáveis.
  • Coloque seu bebê deitado sobre as costas dele ou dela, de forma que você consiga estabelecer e manter contato visual com ele. Isso passa segurança.

Começando a massagem:

  • Diga ao seu bebê que está na hora da massagem. Sempre explique tudo o que vai fazer (por exemplo, despi-lo, segurar o braço, passar óleo), mesmo que ele pareça não entender. A sua voz ajuda a mantê-lo atento e, com o tempo, ele conseguirá identificar o que vai acontecer quando você diz isso, ainda que não compreenda palavra por palavra.
Não faça cócegas no bebê na hora da massagem
  • Quando você começar a massagear seu bebê, controle seu toque e faça de forma suave. Evite fazer cócegas, pois pode deixá-lo agitado ou até irritá-lo. Com o tempo, à medida que o seu bebê for crescendo, poderá usar um toque mais firme.
  • Passe as mãos devagar devagar e pressione suavemente cada parte do corpo do seu bebê. Você pode começar colocando seu bebê deitado de bruços e passar um minuto deslizando suavemente os dedos por diferentes áreas, incluindo a cabeça, pescoço, ombros, parte superior das costas, cintura, coxas, pés e mãos do bebê.
  • Em seguida, vire o bebê vagarosamente, colocando-o de barriga para cima, e passe um minuto estendendo e flexionando cada um dos braços e pernas do bebê (um minuto por cada membro) e depois as duas pernas juntas, ao mesmo tempo.
  • Por fim, com seu bebê deitado de bruços ou de barriga para cima, como preferir, repita os movimentos de fricção por mais cinco minutos.
  • Não fique tensa. Relaxe. Fale com seu bebê durante toda a massagem. Se não souber o que falar (algumas mães se sentem meio bobas conversando com um RN), pode optar por contar uma historinha ou cantar uma canção infantil. Ou só cantarolar uma melodia tranquila. Diga para o seu bebê relaxar enquanto você o ajuda a aliviar a tensão.
  • Observe a reação do seu bebê ao toque e use isso a seu favor. Se ele sacudir os braços, com as mãos abertas, e parecer feliz, é provável que ele ou ela esteja gostando da massagem e você pode, então, continuar. Se ele fechar as mãos firmemente e virar o rosto para longe de você ou parecer inquieto ou irritado, pare a massagem e tente em outro momento.
Faça movimentos verticais, deslizando as mãos pelos braços do bebê de cima para baixo, começando nos ombros.
Massagem na barriga do bebê deve ser feita em sentido horário. Isso ajuda a aliviar gases e melhora o funcionamento do intestino.
Use a ponta do polegar para fazer massagem nos pés do bebê, deslizando com pressão moderada de baixo para cima.
Flexione as pernas do bebê, uma de cada vez, para cima, contra a barriga. Depois, flexione as duas juntas. Essa massagem ajuda o bebê a aliviar os gases e melhora as cólicas intestinais.
Massageie a coluna do bebê, com o bebê de bruços, deslizando a ponta dos seus dedos de cima para baixo repetidamente.

Créditos das Imagens: Raising Children Australia

Devo usar óleo para massagear o bebê?

Depende. O óleo pode ajudar a reduzir o atrito entre as suas mãos e a pele do seu bebê, mas nem todas as mães e pais gostam de utilizar. Alguns simplesmente acham muito “melequento”.

Se preferir ou não se importar com a textura do óleo, escolha um que seja inodoro e adequado para bebês. Prefira óleos naturais e comestíveis (caso seu bebê coloque a mão na boca durante a massagem). Se não sabe se seu bebê é alérgico ou se ele tem a pele sensível, teste o óleo primeiro aplicando uma pequena quantidade em um pedaço da pele de seu bebê e observando a reação.

A massagem faz bem para bebês com problemas de saúde?

Se seu bebê tem algum problema de saúde subjacente, é imprescindível falar com seu pediatra antes de fazer qualquer tentativa. O médico pode ajudar a determinar se a massagem é ou não apropriada para o seu filho ou filha em específico. O aconselhamento médico NUNCA deve ser substituído por qualquer artigo na internet.

Além disso, é comum que pediatras conheçam colegas que atuem nessa área, pelo que você pode aproveitar a consulta para pedir que ele/ela recomende um profissional que possa fazer a massagem no seu bebê ou ensinar para que você faça.

Não fique frustrada se não conseguir de primeira: pode ser que sejam necessárias várias tentativas até que você e seu bebê “peguem o jeito”. Com um pouquinho de prática, a massagem pode ser uma maneira saudável de você e seu bebê relaxarem e ficarem juntos.


Referências bibliográficas:


shantala massagem para bebês

Aprenda a Shantala

Aprenda a técnica da massagem indiana e deixe o seu bebê mais tranquilo, mais saudável e com melhor qualidade de sono!

Sobre a autora

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Vila Materna é um portal de informações baseada em evidências científicas sobre gestação, maternidade e educação e com firme compromisso com a perspectiva feminista e os direitos das mulheres e crianças.

Inspiração

“A mulher viva e politizada afirma ser uma pessoa quer esteja ligada a uma família ou não, quer esteja ligada a um homem ou não, quer seja mãe ou não”.


– Adrienne Rich, Of Woman Born: Motherhood as Experience and Institution

Aline Rossi © 2020. Todos os direitos reservados.