Compartilhe

Por que a gestação é medida em semanas e não meses? Saiba como calcular a idade gestacional e a resposta para todas as suas perguntas sobre as semanas da gravidez!

mulheres grávidas

Por que a gestação é medida em semanas?

A gravidez é tipicamente medida em semanas e não em meses porque a duração de uma gravidez pode variar de mulher para mulher e de gravidez para gravidez. A gravidez média dura cerca de 40 semanas, ou 9 meses e uma semana, mas pode ser mais curta ou mais longa.


Normalmente, a gravidez é calculada a partir do primeiro dia da última menstruação da mulher, que, em geral, ocorre cerca de duas semanas antes da fertilização. Como a duração de um ciclo menstrual pode variar de mulher para mulher, é mais preciso medir a gravidez em semanas do que em meses.

Além disso, o desenvolvimento de um feto durante a gravidez geralmente é analisado de acordo com marcos específicos que ocorrem em diferentes fases da gravidez, mais facilmente medidos em semanas. or exemplo, um feto terá aproximadamente o tamanho de uma semente de papoula às 4 semanas, e terá desenvolvido todos os seus órgãos em cerca de 8 semanas.


Ao medir a gravidez em semanas, os médicos e outros profissionais de saúde podem acompanhar com mais precisão o desenvolvimento do feto e monitorizar a saúde da gravidez.

Como calcular a Data Prevista de Parto (DPP) e a idade gestacional?

Há vários métodos que podem ser usados para estimar a data prevista de parto (DPP) e a idade gestacional. Os mais comuns são:

  • Primeiro dia da última menstruação: a DPP pode ser calculada adicionando 280 dias (9 meses e 7 dias) ao primeiro dia da sua última menstruação. Esse método é baseado na suposição de que a gravidez média dura 280 dias a partir do primeiro dia do último período menstrual.

  • Ultrassom: Um exame de ultrassom pode ser usado para determinar a idade gestacional e DPP. A ultrassonografia é geralmente feita no primeiro trimestre e pode ser usada para determinar a idade gestacional entre 5 a 6 semanas após a última menstruação.

  • Exame físico: um profissional de saúde pode estimar a idade gestacional e a DPP com base em sinais e sintomas físicos, tais como o  tamanho e forma do útero e a presença de movimentos fetais.

  • Exame de Sangue ou Urina (HCG): Um exame de sangue pode medir os níveis de certos hormônios, como a gonadotropina coriônica humana (hCG), no sangue da mãe. Esses níveis hormonais podem ajudar a estimar a idade gestacional;


Os exames de sangue e urina geralmente não são tão precisos quanto um ultrassom. Isto porque os níveis hormonais podem variar de pessoa para pessoa e podem ser afetados por fatores como a dieta, fatores externos (estresse no trabalho, flutuações emocionais) e o nível de atividade física praticada.

É importante lembrar que estes métodos são apenas estimativas, e a data real de nascimento e a idade gestacional podem variar.

O exame de ultrassom pode dar uma idade gestacional errada?

Os exames de ultrassom são o método mais confiável para saber a idade gestacional, especialmente se feito no primeiro trimestre, mas nem sempre é uma ciência exata.


Há vários fatores que podem afetar a precisão de um exame de ultrassom para determinar a idade de uma gravidez, incluindo os seguintes:

  • Tamanho do feto: os ultrassons são normalmente mais precisos na determinação da idade de uma gravidez quando o feto é maior. Isto porque é mais fácil medir o tamanho do feto e compará-lo com as normas para diferentes idades gestacionais;

  • Posição fetal: Se o feto não estiver em uma boa posição para o exame de ultrassom, pode ser mais difícil obter medições precisas;

  • Capacidade técnica e experiência da pessoa que realiza o exame de ultrassom;

  • Qualidade do equipamento.

 

Apesar destas potenciais fontes de erro, os exames de ultrassom são geralmente considerados o método confiável para determinar a idade de uma gravidez. Entretanto, é sempre importante fazer um acompanhamento junto ao seu médico ou parteira para confirmar a idade da gravidez e garantir que a gravidez está progredindo normalmente.

Qual é a margem de erro de um exame de ultrassom para calcular a idade gestacional?

Estima-se que a margem de erro para um exame de ultrassom seja de 5 a 7 dias relativamente ao cálculo da idade gestacional. Esta margem pode ser maior em alguns casos, especialmente no primeiro trimestre, quando o feto é menor e mais difícil de ser visualizado no ultrassom.

Por que algumas gestações vão até 42 ou 43 semanas? É perigoso?

O consenso científico atual é que a gravidez humana dura até 42 semanas normalmente, não apenas 40. Isso contempla não só a margem de erro do cálculo da DPP e idade gestacional devido a variações de ciclos menstruais de cada mulher, mas também o desenvolvimento saudável do feto.


De modo geral, uma gravidez é considerada a termo ao atingir as 37 semanas. Gravidez a termo significa que o feto já tem condições de sobreviver fora do útero e está “pronto”. Ou seja, uma gravidez que ultrapassa as 42 ou 43 semanas é considerada pós-termo.


Embora não seja necessariamente perigoso que uma gravidez passe da data devida, é importante que a saúde da mãe e do bebê seja monitorada de perto nestes casos.


Há vários fatores que podem contribuir para uma gravidez pós-termo, inclusive:

  • Erro no cálculo da DPP: isto pode acontecer se a data exata da concepção não for sabida ou se a data prevista foi calculada com base em um ciclo menstrual irregular;

  • Bebê de crescimento lento: alguns bebês simplesmente crescem mais lentamente do que outros, o que pode resultar em uma gravidez pós-termo dada a necessidade natural do feto de completar o seu desenvolvimento no útero;

  • Problemas na placenta: a placenta é o órgão que fornece ao bebê o oxigênio e os nutrientes da mãe. Se não estiver funcionando corretamente, o bebê pode não estar recebendo oxigênio e nutrientes suficientes, o que pode fazer com que a gravidez ultrapasse a data prevista;

  • Gravidez anterior pós-termo: se uma mulher teve uma gravidez pós-termo no passado, é mais provável que ela tenha novamente no futuro.


Se uma gravidez ultrapassar as 41 semanas, o médico normalmente irá monitorar de perto a saúde do bebê e da mãe e poderá recomendar a indução do parto se for considerado necessário e seguro.


A indução do parto envolve o uso de medicamentos ou outros métodos para estimular as contrações e iniciar o processo de trabalho de parto. Isso é um protocolo adotado para garantir a segurança tanto da mãe quanto do bebê.

denise gomes curso para gestantes

Curso para Gestantes

Não vá para o parto com dúvidas! Assuma o controle da sua gravidez e viva uma Gestação Plena com este curso para gestantes da Dra. Denise Gomes!

Sobre a autora

Compartilhe

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    Vila Materna é um portal de informações baseada em evidências científicas sobre gestação, maternidade e educação e com firme compromisso com a perspectiva feminista e os direitos das mulheres e crianças.

    Inspiração

    “A mulher viva e politizada afirma ser uma pessoa quer esteja ligada a uma família ou não, quer esteja ligada a um homem ou não, quer seja mãe ou não”.


    – Adrienne Rich, Of Woman Born: Motherhood as Experience and Institution

    Aline Rossi © 2020. Todos os direitos reservados.