Compartilhe

Parece estranho falar em “se preparar para o parto normal”? Só se você não pretende assumir o controle daquela que pode ser a experiência mais marcante da sua vida.

 

Cada parto é único e uma coisa é certa: você não vai se esquecer do seu parto. Nunca. É uma lembrança que fica para a vida toda. Portanto, mais vale que essa seja uma lembrança positiva, que você recorde com nostalgia e orgulho, não com traumas e medo, certo?

 

Enquanto doula, costumo dizer que se as mulheres soubessem o impacto que um parto respeitoso e bem vivido poderia ter na vida e autoestima delas, certamente iriam se preparar muito mais para esse momento. E engana-se quem pensa que para parir “basta ir”. É preciso estudar muito para conseguir realmente viver um bom parto.

 

Aqui estão algumas dicas para você se preparar para o parto e viver esse momento com toda a mágica que merece!

doula de parto massagem

Dicas para se preparar para um parto normal

Estude as fases do parto

É importante entender como o parto acontece, quais são as fases do parto, saber identificar os sinais de um trabalho de parto real e diferenciá-lo de um falso trabalho de parto. Saber quando é hora de ir para o hospital e quando é melhor estar em casa. Com essas informações em mãos, você estará no controle do seu tempo e do seu parto, podendo tomar decisões mais bem informadas e deixando de estar à mercê de manipulações como “temos de fazer uma cesárea agora ou o bebê vai morrer”.

 

Conheça as intervenções médicas mais comuns

Embora a maioria dos partos seja normal, às vezes intervenções médicas podem ser necessárias para a segurança da mãe ou do bebê. É importante estar ciente dessas possibilidades e discuti-las com seu médico, doula e/ou equipe de parto.

 

Tente saber mais sobre procedimentos são tratados como “procedimentos de rotina” e quando eles são ou não são realmente indicados. Procedimentos como episiotomia, administração de ocitocina sintética e soro, jejum durante o parto, manobra de Kristeller, uso de fórceps, indicações reais de cesárea, etc.

 

Vale a pena também estudar sobre Violência Obstétrica, para conseguir identificá-la se tentarem praticar algo do tipo contra você.

 

Faça um plano de parto

Entender como o parto funciona e quais procedimentos são ou não são recomendados no parto é crucial para que você consiga fazer o seu plano de parto o mais completo possível. Pense o que você quer e não quer durante o trabalho de parto e o parto, tais como: quem você gostaria que estivesse presente, como prefere gerir a dor, quem deve cortar o cordão umbilical, entre outras preferências.

 

Temos um texto sobre Como fazer um plano de parto e até, caso precise de um plano B, como fazer um plano de parto para cesárea. Dê uma lida, construa o seu e, quando estiver pronto, discuta o plano com seu médico ou sua equipe de parto!

 

Conheça a equipe de parto e a maternidade

Se vai ter um parto em casa, vale a pena entrevistar equipes diferentes e ver com quem você se dá melhor antes de contratar aquela que vai assisti-la no seu parto. O mesmo vale para partos hospitalares: é importante você se sentir confiante e confortável com o médico ou a médica que irá lhe assistir nesse momento tão íntimo.

 

Se vai ter um parto no hospital, visite as maternidades da sua região com antecedência para saber com o quê pode contar. Tente saber se eles utilizam algum modelo específico de plano de parto, se têm políticas de assistência humanizada e se o ambiente é confortável.

 

Faça um curso de preparação para o parto

Em vários países, aulas de educação perinatal ou de preparação para o parto são oferecidas gratuitamente pelo sistema público de saúde (como é o caso em Portugal). Infelizmente, no Brasil essa não é a realidade da maioria. Se puder, participe de um curso de preparação para o parto, mesmo se for à distância (online).

 

Essa preparação vai trazer a informação que você precisa de forma ordenada e fácil de compreender, sem os exageros da internet, e com dicas de como lidar com a dor, melhores posições para dar à luz, como identificar os sinais de parto, etc.

 

Eu recomendo o Curso Online para Gestantes da Dra. Denise Gomes. Dê uma olhada abaixo!

denise gomes curso para gestantes

Curso para Gestantes

Não vá para o parto com dúvidas! Assuma o controle da sua gravidez e viva uma Gestação Plena com este curso para gestantes da Dra. Denise Gomes!

Cuide de sua saúde física e emocional

Estar com a saúde física e emocional em dia é importante não só para ter uma gravidez mais tranquila, mas também para lidar melhor com o trabalho de parto e prevenir riscos como pré-eclâmpsia ou diabetes gestacional.

 

Adote uma dieta saudável, faça exercícios regularmente e gerencie o estresse através de técnicas de relaxamento como respiração profunda, yoga ou meditação. Hidroginástica também é uma boa opção para reforçar os músculos, a respiração e aliviar as dores da gravidez.

 

Prepare a mala da maternidade

Faça uma mala com itens que você precisará durante seu internamento no hospital, como roupas confortáveis, pijama, sutiã de amamentação, artigos de higiene pessoal e quaisquer medicamentos que você esteja tomando no momento.

 

Esse processo de preparar a mala também é um processo psicológico e que ajuda a mulher a se preparar para esse momento enquanto pensa no que pode precisar ou não nesse momento. Veja aqui nosso artigo sobre o que levar para a maternidade.

 

Contrate uma doula

Se tiver condições de contratar uma Doula de Parto, definitivamente recomendo que o faça. Uma doula não só ajudará a se preparar para o parto, como também tirará suas dúvidas (e do seu ou sua companheira, se for o caso), ensinará técnicas não-farmacológicas para lidar com a dor e estará ao seu lado durante o trabalho de parto e o parto para apoiá-la e defender as suas vontades.

 

Também existem doulas voluntárias ou que atendem com taxa social, que podem geralmente ser encontradas na internet (em sites como o Portal da Doula) ou em grupos regionais de parto no Facebook.

parto bebe recem nascido

Planeje os cuidados no pós-parto

O parto pode ser trabalhoso e durar de 1 a 3 dias, mas o pós-parto vai durar meses a fio. Por isso, é importante pensar antecipadamente nas possibilidades e recursos que terá às mãos para fazer uma transição mais tranquila para a maternidade. Isso também ajuda a trazer tranquilidade para o momento do parto.

 

Pense com quem você pode contar para ajudar com os cuidados nos primeiros dias do bebê (ou para entreter irmãos mais velhos enquanto cuida do recém-nascido). Considere quem pode assumir ou ajudar nas tarefas domésticas para que você tenha tempo de descanso adequado. Que itens faltam no enxoval do bebê ou nos materiais de apoio para a mãe, como uma almofada de amamentação ou poltrona para amamentar.

 

Não esqueça: cada parto é único

Sobretudo, é importante lembrar que cada gravidez e parto é diferente. Mesmo que você já não seja mãe de primeira viagem, é pouco provável que uma segunda ou terceira gestação sejam iguais à anterior, e o mesmo acontece com o parto. Pode ter tido um parto demorado no primeiro e ter um “parto a jato” no segundo.

 

Por isso, é importante seguir os conselhos da sua equipe de parto, ter um acompanhamento assíduo nas consultas pré-natais e, se possível, de uma doula também, e se preparar para o parto psicologicamente e fisicamente.

Sobre a autora

Compartilhe

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    Vila Materna é um portal de informações baseada em evidências científicas sobre gestação, maternidade e educação e com firme compromisso com a perspectiva feminista e os direitos das mulheres e crianças.

    Inspiração

    “A mulher viva e politizada afirma ser uma pessoa quer esteja ligada a uma família ou não, quer esteja ligada a um homem ou não, quer seja mãe ou não”.


    – Adrienne Rich, Of Woman Born: Motherhood as Experience and Institution

    Aline Rossi © 2020. Todos os direitos reservados.