A posição do bebê na barriga é uma informação importantíssima para decidir a via do parto e entender quais as possíveis implicações para a mamãe e o bebê. Vem descobrir o que é posição fetal e apresentação fetal!

Se está grávida e tem feito ultrassonografias para acompanhar o desenvolvimento do bebê, já deve ter visto uma referência à “posição fetal” e à “apresentação fetal” nos seus laudos. Mas o que são, afinal, a apresentação e a posição fetal? O que significam todas aquelas palavras, como posterior, anterior, dorso, transverso, pélvico e cefálico? Acalma o coração e vem ler para entender!

Para entender como o bebê está posicionado dentro da barriga, falamos em dois aspectos: a posição fetal (cefálica, pélvica ou córmica) e a apresentação ou situação fetal (longitudinal, oblíquo ou transversal). 

O que é a Apresentação ou Situação Fetal?

A situação fetal é como o feto se apresenta, nomeadamente se está com as costas (o dorso) virado para a frente da barriga da mãe, para o lado direito ou esquerdo das costelas da mãe ou, ainda, para as costas (costas com costas) da mãe. Vejamos a imagem abaixo:

Apresentação fetal. Fonte: https://www.msdmanuals.com/

A apresentação fetal pode ser de três tipos:

  • Longitudinal: o feto está na vertical;
  • Transversal: o feto está “deitado” na horizontal;
  • Oblíquo: o feto está “atravessado”, nem completamente na vertical, nem completamente na horizontal;
Três tipos de Situação Fetal

Ainda assim, há muitas formas que o feto consegue se posicionar dentro do útero, seja na vertical, na horizontal ou na transversal. Por isso, falamos também em “Posição Fetal”.

O que é posição fetal?


Posição fetal cefálica, pélvica e transversal. Créditos: Casa da Doula

Posição fetal significa a posição do feto no útero, ou seja, como o bebê está posicionado dentro da barriga da mãe. Essa informação geralmente aparece nas ultrassons feitas durante a gravidez e serve para que os profissionais que acompanham a gestante saibam como o bebê está posicionado e se isso pode facilitar ou dificultar o parto normal.

Se estiver grávida, você com certeza já percebeu que os bebês mexem MUITO na barriga! E, claro, com todas essas movimentações, além do seu próprio desenvolvimento que, com o tempo, obriga o feto a mudar de posição no útero, a forma como o bebê está posicionado na barriga também muda: o lado para o qual está virado, se está de frente ou de costas para a mãe, se está com a cabeça encaixada na pélvis ou se está sentado, etc.

Vamos ver uma a uma das posições fetais!

Posição Cefálica

Quando o bebê está cefálico significa que está com a cabeça posicionada na pélvis da gestante, ou seja, está de cabeça para baixo. A posição cefálica é a posição fetal mais comum na ampla maioria das gestações (cerca de 96%). O bebê normalmente assume essa posição próximo das 36 semanas de gestação.

Além disso, a posição cefálica é a posição fetal ideal para o parto normal, uma vez que os ossos da cabeça do bebê não são totalmente fechados e são, na verdade, até bastante maleáveis, permitindo que a cabeça se molde à passagem do canal vaginal no momento do expulsivo.

Posição Cefálica com dorso à direita ou dorso à esquerda

Dorso é referência às costas do bebê, ou seja, essa informação diz para que lado estão voltadas as costas do bebê relativamente à mãe. Posição cefálica com dorso à direita significa que o bebê está de cabeça para baixo e as suas costas estão posicionadas à direita da bacia da mãe. Posição cefálica com dorso à esquerda significa que o bebê está de cabeça para baixo e com as costas voltadas para o lado esquerdo da bacia da mãe.

Posição Cefálica Anterior e Posterior

Anterior é quando o bebê está com as costas voltadas para a barriga da mãe e o rosto voltado para trás. É a posição ideal para o parto normal. Já a posição posterior é o contrário: o bebê está “costas com costas” com a mãe, tendo o rosto voltado para a barriga da gestante. A posição cefálica posterior pode implicar um expulsivo mais demorado.

Bebê em posição cefálica anterior vs Posição Cefálica posterior.
Créditos da Imagem: BabyCenter

O que é a Posição Fetal Transversal ou Córmica?

Bebê em posição fetal córmica ou transversal

Posição córmica ou transversal é quando o bebê está “atravessado” no útero, ou seja, nem com a cabeça para cima, nem para baixo, está “deitado” na horizontal. A palavra “córmica” diz respeito ao tronco e aos ombros do bebê. É considerada uma posição anormal e menos de 1% das mulheres chega a termo com o bebê transverso.

Se o seu bebê estiver nessa posição, pode ver a expressão “Polo cefálico” na ultrassonografia. “Polo cefálico” faz referência a que lado está posicionada a cabeça do bebê, se à direita ou à esquerda da pelve da mãe.

Embora, dependendo das condições de saúde da gestante, possa ser uma possibilidade a realização da manobra VCE (Versão Cefálica Externa), uma manobra feita na barriga da gestante por profissionais médicos experientes para “arrumar” a posição do bebê, a posição córmica ou transversal é a única posição fetal com indicação absoluta e real de cesárea.

O que é a Posição Pélvica?

Posição pélvica significa que o bebê está com a cabeça para cima e as nádegas para baixo, ou seja, está “sentado” sobre a pelve da mãe. Enquanto até 28 semanas cerca de 28% dos bebês estão pélvicos, essa posição se apresenta em apenas 3% a 4% dos casos depois das 26 semanas, o que faz da posição fetal pélvica uma posição anormal, ou seja, incomum de se encontrar.

Bebê Pélvico no útero

Bebê pélvico é indicativo de cesárea?

Não, não é. Na verdade, a Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda que em casos de gestação a termo com bebês pélvicos seja tentado no mínimo a realização da manobra VCE. Contudo, a realidade é que poucos hospitais, tanto públicos quanto privados, possuem profissionais treinados para fazer a manobra.

Existem várias “técnicas” menos invasivas recomendadas por diferentes profissionais no mundo todo, embora haja pouca literatura científica sobre a eficácia das mesmas. Algumas dessas técnicas são a moxabustão, uma técnica de acupuntura com uso de calor; o método Spinning Babies, que combina posições de yoga para gestantes e pilates usando da gravidade para influenciar a posição do bebê; ou, uma menos robusta, recomendada como “última cartada” por algumas doulas, dar cambalhotas sucessivas dentro da água.

É possível ter parto normal com o bebê pélvico?

Sim, é possível, embora seja importante ser acompanhada por profissionais experientes com esse tipo de situação, uma vez que requer uma série de cuidados específicos para evitar machucar o bebê durante o expulsivo.

Caso o bebê se apresente na longitudinal e não na transversal, ainda é possível ter um parto normal. Contudo, é raro acontecer no serviço público de saúde. Partos normais de bebês pélvicos tendem a ser mais demorados que os partos de bebês cefálicos e envolvem mais riscos para a mãe (especialmente de laceração) e para o bebê, por isso deve ser avaliado caso a caso com muito cuidado e aos mínimos pormenores.

E aí, gostou? Se sim, deixe seu comentário e compartilhe esse artigo com outras gestantes!

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado.