Quer aumentar a sua produção de leite materno? Esqueça medicamentos e produtos milagrosos e veja essas dicas para estimular naturalmente.

 

 

No passado, quando uma mãe dava à luz, era muito comum receber conselhos das suas mães, avós e vizinhas para “tomar canja de galinha” ou “comer canjica” para aumentar a produção de leite materno. Talvez você também tenha ouvido isso, afinal, esses dois conselhos não desapareceram por completo ainda hoje.

 

Não é que estejam completamente errados: temos que admitir que esses conselhos vão muito além do “ouvi falar” repassado de geração a geração. Existe muito de experiência prática e vivida das mulheres que continuam aconselhando e até levando, elas mesmas, canjicas e canjas para as novas mães com o intuito de ajudar na amamentação do novo bebê.

 

Contudo, não é nem o milho da canjica nem a galinha da canja que ajudam, realmente, a aumentar a produção de leite materno. É simplesmente a ingestão de líquidos, nesse caso; algo que a canja e a canjica possuem em comum.

 

Nesse artigo, reunimos dicas baseadas em evidências científicas e recomendações de profissionais experientes na amamentação para ajudar a aumentar a produção de leite materno naturalmente. Dá uma olhada!

 

Como saber se estou produzindo leite suficiente?

 

como saber se o bebê está com fome

 

Através de sinais do corpo do bebê, podemos perceber se ele está satisfeito ou com fome.

Quando somos mães pela primeira vez (ou até pode ser o caso de ser a segunda vez, já que cada gravidez é diferente da outra), uma das coisas difícil de saber é se estamos produzindo leite suficiente para o bebê. Se ele está sendo amamentado tanto quanto precisa ou se nosso leite é “insuficiente”.

 

Infelizmente, no Brasil, as  taxas de amamentação estão muito aquém do ideal. A maioria das mães recebem pouca ou nenhuma orientação ou recebem orientações erradas sobre como amamentar. E isso dificulta muito o processo! É comum que o bebê já saia da maternidade com chupeta e mamadeira ou seja “suplementado” com fórmula desde o primeiro dia de vida, mesmo que a mãe tenha os seios ingurgitados de colostro e leite.

 

Alguns sinais de que seu bebê está bem amamentado, ou seja, está recebendo leite suficiente:

 

  • Apresenta ganho de peso constante de 120 a 200 gramas por semana em seus primeiros meses de vida (atenção: é normal que o bebê perca peso nas primeiras 3 semanas invés de ganhar).
  • Seu bebê parece satisfeito após mamar;
  • Você sente seu corpo relaxar completamente após dar de mamar;
  • Na primeira semana de vida, seu bebê troca cerca de 6 fraldas de xixi e 3 fezes amarelas macias no período de 24h.
 

Como saber se o bebê está satisfeito após mamar?

 

  • O bebê fica com as mãos abertas invés de cerrar os punhos;
  • O bebê recusa ou afasta o peito quando você oferece;
  • O bebê continuamente retira a boca do seio ou mama sem interesse;

Se não reconhece esses sinais acima e acha que está produzindo pouco leite materno, então veja as dicas abaixo!

 

Como aumentar a produção de leite materno naturalmente?

 

1 – Mantenha uma alimentação saudável

Inclua grãos integrais (arroz integral, quinoa, aveia), diversidade de frutas e legumes e alimentos ricos em ômega 3 (atum, salmão, semente de linhaça) na sua dieta diária. Evite alimentos processados, com gorduras saturadas e muito refinados.

 

2 – Aumente a ingestão de líquidos

Beber água em abundância é crucial para estimular a produção de leite. Idealmente, mantenha uma garrafa de água à mão sempre que for amamentar (também por uma questão de praticidade, pois amamentar pode dar muita sede!) e não esqueça de ir bebendo ao longo do dia. Sucos naturais e chás também são bons aliados!

 

3 – Durma sempre que possível

É difícil para a maioria das mães manter uma boa noite de sono com bebês recém-nascidos e isso pode afetar muito a produção de leite materno. Produzir leite também demanda muita energia do nosso corpo e um corpo cansado e fadigado não consegue fazer isso da forma ideal.

 

Por isso, sempre que o bebê dorme, se tiver dúvida entre dar uma olhada no Facebook ou dormir: durma. Entre comer e dormir? Durma. Entre tomar banho e dormir? Durma. Dormir e descansar adequadamente são essenciais para o sucesso da amamentação.

 

4 – Tente reduzir o estresse

O estresse tem um impacto negativo bastante imediato na produção de leite. Assim, para aumentar a produção de leite materno é crucial reduzir os níveis de estresse. Se há muito barulho ou movimentação em sua casa e isso a incomoda, tente organizar um “cantinho da amamentação” onde você possa estar mais à vontade sem ser interrompida. Luzes baixas, cortinas semicerradas, ambiente calmo. Vale tudo para você ficar confortável.

 

Pode também tentar utilizar algumas técnicas de relaxamento, como respiração profunda (existem aplicativos de celular para isso que você pode baixar gratuitamente), fazer meditação ou ioga.

 

5 – Terceirize tudo que puder terceirizar

Não tenha vergonha de pedir ajuda para amigos e familiares para conseguir descansar e ficar bem. Afinal, é preciso cuidar de quem cuida para que tudo funcione. Se viver com seu companheiro ou companheira, esse é o momento deles se mostrarem mais parceiros que nunca e assegurarem o máximo possível das tarefas de casa (louça, cozinhar, limpar, trocar fraldas e dar banho) para que você consiga focar no bebê. Afinal, a amamentação é de fato a única tarefa que não dá para delegar (no começo, ao menos).

 

6 – Amamente sempre que puder

A amamentação funciona, basicamente, como um sistema de oferta e demanda: quanto mais o bebê mama, mais leite o seu corpo produz para suprir essa demanda. Esse foi, na verdade, um dos melhores conselhos que recebi da minha doula no pós-parto: peito é a resposta para tudo. Tá chorando? Peito. Caiu? Peito. Acordou? Peito. Tá com sono? Peito. Isso ajuda o bebê e ajuda a mamãe (a ter paz e a ter mais leite!).

 

7 – Tire leite quando não puder amamentar

Se estiver longe do seu bebê e não puder amamentar durante longos períodos de tempo (como no trabalho ou na faculdade), tente extrair leite para manter a produção.

 

A ideia é não deixar que seu corpo entenda esses longos períodos sem amamentar como um sinal de que deve reduzir a produção porque algumas mamadas foram “suprimidas”, mas sim que a produção de leite materno naquele período deve continuar. Você pode fazer isso manualmente ou optar por uma bomba de extração de leite materno para auxiliar.

Por fim, vale a pena reforçar mais uma vez que os benefícios da amamentação (especialmente a amamentação prolongada, ou seja, após os 2 anos de idade) são enormes tanto para a mãe quanto para o bebê. Há diversos profissionais que podem te ajudar a seguir essa jornada, caso esteja decidida a amamentar, como as Consultoras de Aleitamento Materno.

 

Porém, é importante frisar que amamentar é um direito da mãe, uma decisão única e exclusivamente sua. E ninguém é “mais mãe” ou “menos mãe” por X ou Y. O importante é receber apoio para conseguir seguir de forma sadia a sua decisão.

curso de amamentação

Curso de Amamentação

Um curso todo voltado para preparar, empoderar e apoiar grávidas e novas mães para uma amamentação tranquila e de sucesso!

Sobre a autora

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    Vila Materna é um portal de informações baseada em evidências científicas sobre gestação, maternidade e educação e com firme compromisso com a perspectiva feminista e os direitos das mulheres e crianças.

    Inspiração

    “A mulher viva e politizada afirma ser uma pessoa quer esteja ligada a uma família ou não, quer esteja ligada a um homem ou não, quer seja mãe ou não”.


    – Adrienne Rich, Of Woman Born: Motherhood as Experience and Institution

    Aline Rossi © 2020. Todos os direitos reservados.